O mundo cria expectativas para todos. Mas nem todos conseguem atingir o sucesso de ser como o mundo espera.
Anne
O único propósito da minha vida, é tentar ser feliz.
Jô Costa.
Por que se preocupar por tão pouco?
Por que chorar, se amanhã tudo muda de novo?
Capital Inicial.
Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em como será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.
Quem é você, Alasca?
Às vezes você tem que fazer o que é melhor pra você, mesmo que isso magoe aqueles que você ama.
Supernatural.
Mas todas as manhãs temos uma escolha. Esquecer nossos sonhos ou vivê-los.
Salem.
Aceito ser criticada e abraço as críticas: obrigada. Mas me dou o direito de, também, mandá-los à grandíssima merda.
Tati Bernardi.
Fernando Pessoa devia ser engraçado.

Estava pensando comigo…
Mas que cara gozado!
Devia mudar o dia inteiro,
levantar pela manhã e dizer:
Hoje eu sou Alberto Caeiro. 

Não tinha pai, nem mãe,
nem estudou português.
Morreu de tuberculose,
mas em pessoa,
teve sua vez.

Já n’outro dia,
se tornou Álvaro Campos.
Era quase bipolar, revoltado;
nascido português,
e em engenharia estudado.

E por sua vez…
Álvaro, Caeiro, 
cansei de ser vocês!
Hoje eu acordei me sentindo
um pouco Ricardo Reis.

Médico formado,
latinista, monarquizado.
Sem data de morte
e continuado, acredite,
por José Saramago.

Brasileirizado, mas deste,
Fernando está cansado.
Agora sou Bernardo Soares,
o heterônimo fragmentado,
personagem do Livro Desassossegado.

Dito por pessoa, ”mutilado”
semi-heterônimo,
também colega de quarto.
Personagem inusitado
era real, porém, pouco revelado. 

Pessoa era engraçado,
cheio de personagens,
visíveis em suas margens
principalmente nas mensagens.

Mas entre tantos
uma pergunta ecoa:
No meio de tanta gente
sobre espaço pra algum Pessoa?

Risos,
claro que sim.

João Alves, 60 Mil Anos 

Não ir embora: Ato de amor e confiança.
A Menina que Roubava Livros.
O tempo, ainda que os relógios queiram convencer-nos do contrário, não é o mesmo para toda gente.
— José Saramago
Não compensa entrar na dança depois que a música parou.
Engenheiros do Hawaii.
Não permita que o comportamento dos outros tire a sua paz.
Dalai Lama.
Alguns nunca
enlouquecem. Que
vida de merda eles
devem levar.
Charles Bukowski.
A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso. Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade. Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?
Charles Chaplin